terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Riscos de brinquedos com laser para crianças.

Minimizing Risk for Children’s Toy Laser Products
Guidance for Industry and Food and Drug Administration Staff


O FDA está particularmente preocupado com o perigo potencial de brinquedos com laser para crianças e aqueles ao seu redor, e emitiu um documento de orientação sobre a segurança dos produtos.


Entenda: 

Brinquedos com luz e laser vermelho ou verde estão cada vez mais baratos e disponíveis, tanto os de empresas de brinquedos quanto nos artigos importados de baixo custo (os famosos brinquedos de camelôs). 

Porém, quando usados de maneira insegura, ou sem determinados controles, a luz altamente concentrada a partir de lasers, mesmo em brinquedos pode ser perigosa, causando lesões oculares graves e até mesmo cegueira. E não apenas a pessoa que utiliza um laser, mas a qualquer indivíduo dentro do alcance do feixe de laser.

Segundo o Food and Drug Administration (FDA), "Um feixe brilhando diretamente no olho de uma pessoa pode prejudicá-lo instantaneamente, especialmente se o laser é intenso."


No entanto, as lesões de laser geralmente não machucar, e visão pode deteriorar-se lentamente ao longo do tempo. As lesões oculares causadas pela luz do laser pode passar despercebida, por dias e até mesmo semanas, e pode ser permanente, diz ele.

Alguns exemplos de brinquedos laser são:

  • lasers montados em armas de brinquedo que pode ser usado para "mirar";
  • feixes de laser projetado a partir do topo de brinquedos que giram;
  • lasers portáteis utilizados como "sabres de luz" a la Luke Skywalker ; e
  • lasers de entretenimento que criam efeitos ópticos em uma sala aberta.





O que diz o relatório do FDA:

O FDA regula produtos eletrônicos emissores de radiação, incluindo lasers, e estabelece normas de radiação de segurança que os fabricantes devem cumprir e isso inclui todos os produtos a laser que comercializados como brinquedos.

Brinquedos com lasers são de especial interesse para o FDA, porque é muitas vezes crianças que sofrem danos físicos por esses produtos, e os pais e crianças ao verem os anunciantes promovê-los como brinquedos, podem acreditar que eles são seguros para uso.

Para os brinquedos serem considerados como risco mínimo, recomenda-se que os níveis de radiação e luz não excedam os limites "classe 1", que é o nível mais baixo em produtos regulamentados estabelecido pelo FDA. No Brasil, a regra é um limite de mil miliwats ou 1 mW  

Lasers utilizados para fins industriais e outros muitas vezes exigem níveis de radiação mais elevados, explica. Mas em brinquedos, estes níveis são desnecessárias e potencialmente perigosa. E nos últimos anos, lasers têm aumentado significativamente em poder e reduzido seu preço, e com isso, enquanto os adultos podem comprar um ponteiro laser (laser-pointer) para uso em trabalho, as crianças podem comprá-los por diversão.


O FDA traz também as seguintes dicas:

  • Nunca aponte ou um laser diretamente para ninguém, incluindo os animais. A energia da luz de um laser apontado para o olho pode ser perigoso, talvez até mais do que olhar diretamente para o sol.
  • Não aponte a laser em qualquer superfície reflexiva ou espelho.
  • Lembre-se que o efeito surpreendente de um feixe de luz brilhante pode causar acidentes graves quando destinada a um motorista em um carro ou de outra forma afetar negativamente alguém que está envolvido em outra atividade (como em prática de esportes).
  • Procure no produto por informações de que ele está em conformidade com o Code of Federal Regulations (CFR) 21 , subcapítulo J, no rótulo.*

_______________________________________________________
* Para ficar claro: essa é uma recomendação do FDA, para os Estados Unidos. No caso do Brasil, fique atento as recomendações da Associação Brasileira dos Fabricantes de Brinquedo (ABRINQ) e do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (INMETRO). Se você comprar um brinquedo ou laser pointer e não existir essa informação na caixa, é melhor não fazer quaisquer suposições sobre a sua segurança.  O Inmetro também publicou uma portaria complementar, incluindo o limite de potência de 1.000 miliwatts para laser contidos em brinquedos (link ao final).

Portanto, pais e médicos, tenham em mente: os lasers podem ser perigosos e a informação necessária pode não ser evidente, especialmente naqueles produtos comprados em camelôs, em especial em locais para turistas, vindos do mercado paralelo e por isto mesmo, sem observância a qualquer norma de segurança. Essa informação é fundamental tanto diretamente para as crianças que os utilizam como brinquedos, ou para os adultos que as supervisionam. 

Acesse:

Leia o Guia de Regulamentação do FDA:


O que diz a legislação do INMETRO:



Leia ainda:  http://www.inmetro.gov.br/consumidor/produtos/relatorio_canetas_laser.pdf



Publicado por Leonardo Savassi originalmente em http://medicinadefamiliabr.blogspot.com